quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Ontem foi aniversário de nascimento e morte de Florbela (1834-1930).
Cantigas leva-as o vento...

A lembrança dos teus beijos

Inda na minh'alma existe,

Como um perfume perdido,

Nas folhas dum livro triste.

Perfume tão esquisito

E de tal suavidade,

Que mesmo desapar'cido

Revive numa saudade!

Florbela Espanca

2 comentários:

Pedaços de Tempo disse...

ah... Florbela Espanca, a grande mulher da poesia!

Sem dúvida, uma data a relembrar de uma mulher que marcou a história da poesia para sempre.

Bem visto Manu. Bjs amiga,
CR/de

EDUARDO POISL disse...

"No fim tu hás de ver que as coisas
mais leves são as únicas que o vento
não conseguiu levar:
um estribilho antigo,
um carinho no momento preciso,
o folhear de um livro de poemas,
o cheiro que tinha um dia
o próprio vento"

(Mário Quintana)


Desejo um lindo final de semana com muito amor, paz e carinho.
Abraços com todo meu carinho.